Home Destaque Governo reage e diz que operação é “espetáculo” e houve “abuso de autoridade”

Governo reage e diz que operação é “espetáculo” e houve “abuso de autoridade”

4 primeira leitura
0
0
24

O governo do estado, em nota divulgada agora há pouco, classificou como “espetáculo” e “abuso de autoridade” a operação Satélites deflagrada na manhã desta quarta-feira (25). 

Polícia Federal cumpriu 19 mandados de buscas e apreensões em empresas, no Palácio de Karnak, sede do governo estadual, e na Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra). 

“Mais uma vez lamentamos o caminho do espetáculo. A operação de busca e apreensão realizada pela polícia no interior de repartições públicas que não são objeto da investigação, com cobertura midiática ao vivo, atenta contra o Estado de Direito, pilar da Constituição Federal, podendo caracterizar claro abuso de autoridade”.

O governo  ressaltou ainda que o estado não é parte no processo e investiga empresas e servidores, a quem cabe o legítimo direito de defesa.

Veja na íntegra a nota: 

A respeito da operação da Polícia Federal deflagrada nesta manhã (25), o Governo do Estado informa que não há investigação contra o Estado. O processo investiga empresas e servidores, a quem cabe o legítimo direito de defesa. 

O Estado é parte interessada no processo e sempre agiu de forma colaborativa, fornecendo todos os documentos, dados e informações solicitadas. Nada do que foi entregue na operação deixaria de ser entregue bastando comparecer e requisitar.

Mais uma vez lamentamos o caminho do espetáculo. A operação de busca e apreensão realizada pela polícia no interior de repartições públicas que não são objeto da investigação, com cobertura midiática ao vivo, atenta contra o Estado de Direito, pilar da Constituição Federal, podendo caracterizar claro abuso de autoridade.

O Governo do Estado reafirma seu compromisso com a transparência e continuará repassando documentos e informações solicitadas e, mais que qualquer outro, tem interesse na elucidação dos fatos, porém com respeito à lei.

A operação Satélites investiga crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraudes em licitações. Segundo a PF, os crimes de licitação são praticados por gestores públicos da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc) e por empresários contratados para prestação de serviço de transporte escolar.

Pelo cálculo da PF, os prejuízos aos cofres públicos chegam a R$ 50 milhões. 

Fonte: cidadeverde.com

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais por Destaque

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias (PORTAL REDE POP TRANSMÍDIA) reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Postagens criminosas, que firam a legislação brasileira serão repassados às autoridades policiais competentes para rastreamentos e as medidas legais cabíveis aos criminosos.

Veja Também

Prefeitura de Castelo do Piauí realiza XI Conferência de Assistência Social

Com informações do Portal da Prefeitura de Castelo do Piauí Através da Secretaria Municipa…